Leia também

Poemas

Palavras, Simples Palavras

18 de junho de 2015 // 2 Comentários

Palavra Palavra Pura palavra Dura Palavra pura Crua Palavra sem pudor Flor Pura Simplesmente flor Flor Púrpura Calor Onda Futura onda Ou seja lá o que for Insípido objeto Lívido Rubro Medo ruim Pavor gostoso Amor (tristeza) Amor (alegria) Criado Princesa Real fantasia A lua O sol Mais lua aqui ... Leia mais

Uma poesia chamada “Ode Lúgubre”

14 de março de 2015 // 0 Comentários

Um vazio luxuriante toma conta do âmago de quem mais nada espera! Aglutinado no desvario que me movia amiúde Galguei trôpego o teu covil umbroso Tornou-se hábito provir do silêncio o indevido estado de torpor Tua complacência terminou no meio de uma metade cortada Insultei proferindo contra ... Leia mais

Poesia chamada “Uma”

2 de outubro de 2014 // 0 Comentários

O Quarto – Van Gogh (!888) Uma benção que necessito Uma prece escolhida a dedo Uma lembrança que guardo de ti Uma vez mais não é sempre Uma lágrima percorre meu rosto Uma dúvida perambula minha vida Uma tentativa fracassada de te amar Uma esperança que insiste em me atrapalhar Uma ... Leia mais

Uma poesia chamada “Você”

12 de setembro de 2014 // 10 Comentários

Escrevi essa poesia há 20 anos. Se você tiver coragem e ler até o final, meu muito obrigado. Quem concluir a hercúlea tarefa lerá nas entrelinhas, ou mesmo diretamente, influências do que lia, ouvia e assistia na época. Doors, Roberto Carlos, Cazuza, Chico Buarque, Clarice Lispector, ... Leia mais

Ode Lúgubre II (o fim do disfarce)

27 de agosto de 2014 // 0 Comentários

Escrevi esse texto (desabafo) entre os dias 14 e 15 do ano de 1993. Na época com 22 anos, gostava de escrever minhas histórias e experiências desde os 14. Escrevia na primeira pessoa, olhando pro meu umbigo e sentia inveja daqueles compositores e poetas maravilhosos que conseguiam externar em ... Leia mais

Uma poesia chamada “Um Romance Noir”

2 de março de 2014 // 0 Comentários

Foi quando ela entrou pela porta dos fundos A cidade fez-se mais silenciosa que de costume A cortina de fumaça pelas largas avenidas remetiam a um romance noir escrito na 3º pessoa Os carros cintilavam seus faróis nas grossas gotas da tempestade Ela é a heroína de cinema mudo, com sua imagem ... Leia mais

Uma poesia chamada “Como Uma Prece Orada Com Fervor”

1 de março de 2014 // 0 Comentários

Como uma prece orada com fervor Rogo sua presença Tento manter o equilíbrio adornando teu coração Catando estrelas nos seus olhos Faço do seu pedido minha crença Aguardo sangrando promessas que não fizemos Escrevo num salmo seu imaculado nome Não vale minhas lágrimas sobre a tempestade Ou ... Leia mais

Tudo que eu quero agora

15 de fevereiro de 2014 // 0 Comentários

Teu telefone tá ocupado Teu sinal tá fechado Tua caixa postal tá lotada Tua rede tá sem cobertura Tua porta tá trancada Teu freio de mão tá puxado Tua estréia tá sem abertura Eu já não sei em qual cadeira sentar Que lugar na mesa devo ocupar Que lado da cama posso dormir Em qual vôo ... Leia mais

Pintura Inacabada

8 de fevereiro de 2014 // 0 Comentários

Vida… Me dá um sinal Quero você! Me encontra Estou sozinho Já rasguei poesias e paixões! Mundo… Me dá uma porrada Quero acordar! Grita comigo Estou meio surdo Já rasguei destino e mulheres! Deus… Me dá uma benção Preciso de você! Me ampara Estou perdido Mas não rasguei ... Leia mais
1 2