Leia também

Sexta-feira 13: mitos, curiosidades e superstições – Coluna Vertebral #03 com Kiko

sexta 13

Há quem tenha tanto medo da sexta-feira 13 que nem sai de casa nestes dias. E em 2015 já tivemos duas sextas-feiras 13 (fevereiro e março) e teremos mais uma em novembro.
Para essas manias, ou fobias, como caracterizam alguns médicos existe um nome e, só nos Estados Unidos, cerca de 20 milhões de pessoas sofrem deste problema.
A coincidência de datas entre a sexta-feira e o dia 13 do mês mexe com muita gente. Uns acham graça e até festejam a coincidência. Outros se pudessem, saltavam este dia do calendário. Verdade é que o número 13 está associado a uma série de mitos, lendas, curiosidades e superstições. A associação da data com uma sexta-feira tem uma carga ainda maior.

Vamos a 13 (opa!) curiosidades sobre esse dia?

1 – O medo da sexta-feira 13 está cientificamente provado e tem um nome: “Parascavedecatriafobia”.  O Instituto da Fobia de Ashville, na Carolina do Norte, Estados Unidos, estima que entre 17 e 21 milhões de norte-americanos sofram desta doença, que também é conhecida por “Frigatriscaidecafobia”. Isto equivale a duas vezes a população de Portugal.
Muitas destas pessoas não saem de casa quando a sexta-feira coincide com o dia 13 do mês, com medo que algo de mal lhes aconteça. E há até quem sofra de um medo incontrolável apenas do número 13. Isso também está estudado cientificamente e chama-se “Triskaidekaphofia”;

2 – A fobia das sextas-feiras 13 atinge pessoas de todas as raças, culturas e estratos sociais. Há até famosos que sofrem da doença. O cantor brasileiro Roberto Carlos pode ser considerado um exemplo: Rola a lenda que o cantor é uma dessas pessoas, tem tanto medo dos maus agouros, que, neste dia, simplesmente não trabalha;

3 – Nos E.U.A., no Japão, mas também noutros países da Ásia, o número 13 não existe em alguns prédios.  Os números dos elevadores dos prédios mais altos, por exemplo, saltam do 12 para o 14;

4 – Todos os meses começados num domingo, vão ter uma sexta-feira 13. Se lembram que o mês de fevereiro de 2015 começou num domingo? Há pelo menos uma sexta-feira 13 por ano. 2015 vai ser pródigo nestas coincidências: haverá três sextas-feiras 13, como dito acima: em fevereiro, em março e em novembro;

5 – As sextas-feiras 13 são pródigas em acontecimentos trágicos. O grande dilúvio, relatado no livro dos Gênesis, teria começado precisamente numa sexta-feira 13. Noé, instruído por Deus a construir uma arca que pudesse albergar um casal de cada espécie existente na Terra, escapou. Molhado, mas escapou;

6 – A queda do avião que levava a equipa uruguaia de rúgbi nos Andes foi numa sexta-feira 13, em 1972. Aquele desastre onde as pessoas comeram carne humana para sobreviverem. O acidente deu origem ao filme «Alive», de Frank Marshall;

7 – O maior incêndio da história da Austrália, aconteceu em uma sexta-feira 13. Foi em 1939. Mais de 20 mil quilômetros quadrados de floresta arderam e 71 pessoas perderam a vida;

8 – Há uma maior incidência de acidentes aéreos nas sextas-feiras 13. Uma seguradora britânica aponta para um acréscimo de acidentes nestes dias na ordem dos… 13%;

9 – O rei Felipe IV de França sentia-se ameaçado pelo poder e influência exercidos pela Igreja no país. Para contornar a situação, tentou entrar na ordem religiosa dos Cavaleiros Templários, que gozava de grande prestígio. Mas o pedido foi declinado. P* da vida, teria ordenado a perseguição aos templários. Os que foram encontrados foram presos, excomungados e até queimados na fogueira. Adivinhem o dia desse infortúnio! Sexta-feira, 13 de outubro de 1307;

10 – Uma outra explicação para a «maldição da sexta-feira 13» está vinculada com a mitologia nórdica e tem a ver com o processo de cristianização dos povos bárbaros que invadiram a Europa no início do período medieval. Antes da conversão, eram politeístas e muito devotos de Friga, deusa do amor e da beleza. Com o processo de conversão, passaram a amaldiçoá-la como uma bruxa. Todas as sextas-feiras, Friga passou a reunir-se com 11 feiticeiras e com o Diabo, rogando pragas contra os homens;

11 – Outra história da mitologia nórdica procura explicar a polémica em torno da sexta-feira 13. Num grande banquete, o deus Odin teria reunido outras 11 importantes divindades. Ofendido por não ter sido convidado, Loki, o deus da discórdia e do fogo, foi ao encontro e promoveu uma enorme confusão que resultou na morte de Balder. Esta é uma das lendas que explica o mito de que um encontro com 13 pessoas a uma mesa termina sempre mal;

12 – O número 13 e a sexta-feira são de má memória, também, para os cristãos. Cristo foi morto numa sexta-feira e eram 13 os elementos à mesa na última ceia. Jesus teria sido traído precisamente pelo 13º elemento, Judas, que o denunciou;

13 – Há também quem goste do número 13 e da sexta-feira 13. Em Portugal, em Montalegre, as «bruxas» encontram-se neste dia, para «assustar» as centenas de pessoas esperadas para a recriação de uma tradição do concelho.

É isso. Para quem se liga nesses mistérios, espero que tenham gostado. Há pessoas que não creem nas bruxas, mas que elas existem, isso existem. Vou ali bater na madeira e nos encontraremos na próxima semana.

Há braços!!

 

Comentários

comentários


Sobre Kiko Oliveira (17 Artigos)
Carioca, curioso, ator, diretor teatral, estudante de Tarô, estudioso da gastronomia, baterista e percussionista, além de praticante de Jiu Jitsu