Leia também

17 de maio – Dia do combate mundial contra a homofobia

Seu preconceito precisa acabar

17 de maio - Dia do combate mundial contra a homofobia

homofobia

  1. substantivo feminino
    rejeição ou aversão a homossexual e à homossexualidade.

 

Por mais que eu me esforce eu não consigo entender e aceitar que existam pessoas que odeiam quem não tem a mesma orientação sexual que elas. Não dá para entender. Entendo sim que, infelizmente, muitos homofóbicos usem a religião como desculpa para corroborar o próprio preconceito. Também entendo que é um problema cultural, das sociedades, mas estamos no século XXI e precisamos rever essa história.

Eu sinto que a sociedade no geral está mudando, de forma geral, lenta, mas está mudando. Porém ainda há muito o que se fazer para erradicar esse triste preconceito que mata centenas de pessoas por ano.

Hoje, dia 17 de maio, foi instituído o Dia Mundial da Luta Contra a Homofobia (Bifobia e Transfobia). O dia foi escolhido em alusão ao fato que em 1990, neste dia, a Organização Mundial de Saúde (OMS) retirou o termo “homossexualismo” da lista de doenças causadas à saúde. A data é para lembrar sempre de lutarmos contra o preconceito que existe. Vale lembrar que a homossexualidade ainda é crime em mais de 70 países, em oito deles, a punição para quem se relaciona com alguém do mesmo sexo é a morte:  Mauritânia, Nigéria, Sudão,  Iêmen, Arábia Saudita, Irã, Iraque, Paquistão e Afeganistão. O Brasil é a nação que mais mata travestis e transexuais no mundo. No mundo!

Veja mais neste mapa da Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros e Intersexuais (Ilga).

Ser homossexual não é e nunca foi uma doença, mas sim uma expressão saudável da sexualidade.

A data é comemorada no mundo inteiro. No Brasil, somente em 2010, por meio do Decreto do Presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, que o Dia Nacional de Combate à Homofobia foi oficialmente instituído.

Precisamos ainda de mais leis em prol da comunidade LGBT. Sem elas se contribui para a continuidade da discriminação. Precisamos que o governo formule leis, como a criminalização da homofobia, além de criar delegacias especializadas em casos de preconceito contra homossexuais. Talvez assim se atenue  a situação e possamos ter uma sociedade que aceita o diferente. Precisamos que a escola, como instituição socializadora, debata o tema com seus alunos, orientando-os acerca da diversidade sexual, proporcionando, assim, o respeito e a integração.

 

Comentários

comentários


Sobre Sal (372 Artigos)
Jornalista, blogueiro, letrista, já fui cantor em uma banda de rock, fotógrafo, fã de música, quadrinhos e cinema...

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*