I’m Not There (Não Estou Lá) – Bob Dylan

Gosto muito do Bob Dylan. Aprendi a apreciar sua música, antes mesmo de compreender suas letras, na minha infância e adolescência com meus primos Beto e Nelson. Mais tarde, mesmo sem dominar o inglês, buscava traduzir suas canções (o que com a Internet ficou ainda mais fácil) para absorver suas mensagens. Afinal, estou falando de um dos maiores letristas do século XX. Não me tornei um expert como meu amigo Márcio Grings ou meu outro brother Zé Alfredo, mas…

Pois bem, para compreender melhor a obra do bardo americano, existe um filme genial chama I’m Not There (aqui no Brasil foi batizado com o título em português “Não Estou Lá”). Não é nenhum lançamento, o longa é de 2007, mas vale o resgate para quem não conhece ou mesmo para rever.

I´m Not There é dirigido por Todd Haynes e conta um pouco da persona de Mr. Robert Allen Zimmerman, um ícone da cultura pop que ganhou o mundo nos idos dos anos 1960 e influenciou toda uma geração de jovens ansiosos em mudar o planeta. Foi em 1962 que Zimmermam, na época, surgiu como Bob Dylan.

Mas não pense que a película é uma biografia convencional sobre o cantor. Nada disso. Bob Dylan e sua obra, se pudessem ser descritos em uma única palavra, seria plural. Por isso mesmo o diretor do filme baseia-se nas lendas por trás do mito para nos trazer os fatos marcantes na vida de Dylan. Seis atores distintos foram escalados para dar vida as diferentes fases do cantor e compositor autor de Blowin’ In The Wind e Like a Rolling StoneCate BlanchetMarcus Carl FranklinBen Whishaw, Christian BaleHeath Ledger e Richard Gere. Palmas para o diretor, pois esta decisão foi acertadíssima. Dylan, apesar de negar, viveu os vários “Dylans” de sua conturbada personalidade.

Elogiado por público e crítica o filme I´m Not There merece o destaque da interpretação de Cate Blanchet que ganhou o prêmio Copa Volpi de melhor atriz, no festival de Veneza de 2006. No filme ela está morena, de óculos escuros e cabelos cacheados. A cara do Bob Dylan dos anos 1960.

O bacana também é que Bob Dylan autorizou a inclusão de suas canções originais no filme, dando um charme a mais na produção do longa metragem, que por si só já está caprichadíssima. Então se você gosta de Dylan, de cinema e boa música… Não deixe de conferir.

Curiosidade
Depois de quase 50 anos, Bob Dylan lançou oficialmente o clipe da música Like a Rolling Stone. O vídeo interativo foi postado no final de 2013, no site oficial do músico, como lançamento do box “The Complete Album Collection Volume 1”. O clipe, como em uma televisão, permite o “acesso” através de um “controle remoto” a 16 histórias, como se fosse canais diferentes. Todos com personagens cantando a música. O próprio Dylan aparece, em uma antiga gravação, cantando Like a Rolling Stone. Vale conferir aqui.

Like a Rolling Stone

Once upon a time, you dressed so fine

Threw the bums a dime in your prime, didn’t you?

People’d call, say: “beware, doll! You’re bound to fall!”

You thought they were all kiddin’ you

You used to laugh about

Everybody that was hangin’ out

Now you don’t talk so loud

Now you don’t seem so proud

About having to be scrounging for your next meal

How does it feel?

How does it feel?

To be without a home?

Like a complete unknown?

Like a rolling stone?

Ah, you’ve went to the finest school, all right, miss lonely

But you know you only used to get juiced in it

Nobody has ever taught you how to live on the street

And now you’re gonna have to get used to it

You said you’d never compromise

With the mystery tramp, but now you realize

He’s not selling any alibis

As you stare into the vacuum of his eyes

And saying “do you want to make a deal?

”How does it feel?

How does it feel?

To be on your own?

With no direction home?

A complete unknown?

Like a rolling stone?

Ah, you never turned around to see the frowns on the jugglers and the clowns

When they all did tricks for you

You never understood that it ain’t no good

You shouldn’t let other people get your kicks for you

You used to ride on the chrome horse with your diplomat

Who carried on his shoulder a siamese cat

Ain’t it hard when you discover that

He really wasn’t where it’s at

After he took from you everything he could steal

How does it feel?

How does it feel?

To be on your own?

With no direction home?

Like a complete unknown?

Like a rolling stone?

Ah, princess on the steeple and all the pretty people

They’re all drinkin’, thinkin’ that they got it made

Exchangin’ all precious gifts, but you better take a diamond ring

You better pawn it, babe!

You used to be so amused

At napoleon in rags and the language that he used

Go to him now, he calls you, you can’t refuse

When you ain’t got nothing you got nothing to lose

You’re invisible now, you got no secrets to conceal

How does it feel?How does it feel?

To be on your own?

With no direction home?

Like a complete unknown?

Like a rolling stone?

Clique aqui para a tradução

sal

Jornalista, blogueiro, letrista, já fui cantor em uma banda de rock, fotógrafo, fã de música, quadrinhos e cinema...

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: