Música

Pérolas Negras de Melodia em show de Pedro Luís

27 jul , 2018   Video

Pérolas Negras de Melodia em show de Pedro Luís

O carioca e discípulo do Negro Gato do Estácio, Pedro Luís, revisita repertório de Luiz Melodia.

O repertório do “negro gato” do Estácio é apresentado em versões originais no show Pérolas negras – Homenagem a Luiz Melodia. 

Esse fato, por si só, já é motivo de comemoração. Mas, a homenagem partindo de alguém que é, acima de tudo, um verdadeiro admirador de Luiz Melodia, torna o fato ainda mais relevante.

No espetáculo, Pedro não quis apenas reproduzir os arranjos originas das canções maravilhosas de Luiz Melodia, por exemplo. O artista, acima de tudo, quis colocar sua própria marca e suingue.

As Pérolas do show de Pedro Luís

Dentre as canções do repertório, Pedro traduz ao seu estilo, a dor do samba Estácio, Holly Estácio (Luiz Melodia, 1972) em tom terno.

Da mesma forma evoluiu sinuoso no Forró de janeiro (Luiz Melodia, 1973).

Pedro ainda expõe com fluência a arquitetura melodiosa de Objeto (Luiz Melodia, 1973). Nesse número, o iluminador Cesio Lima tinge o palco de vermelho em sintonia com a cor dos versos.

Além disso reitera que a música de Melodia está viva na cadência samba-canção-jazz de Abundantemente morte (Luiz Melodia, 1973).

Clássicos como Vale quanto pesa (1973),  Magrelinha (1973), Congênito (1975), com citação de Ébano (1975), fazem o espetáculo ainda mais estrelar.

Ah, não posso esquecer de Objeto H (1973), com uma gaita marota de Milton Guedes, que na mesma linha que as outras releituras, engradecem a obra de Melodia.

Produzido com caprichada direção artística de Bianca Ramoneda, o mais importante é que o show Pérolas negras – Homenagem a Luiz Melodia, traz Pedro Luís em contínua evolução como intérprete. Artista que gravitou em torno da cidade que gerou Luiz Melodia.

Parabéns Pedro por apresentar essa linda homenagem a um dos grandes músicos de nossa constelação da MPB e, da mesma, forma manter viva a memória de Melodia.

Salve Luiz Melodia!, mostrando o brilho perene da obra desse gênio conterrâneo que, a despeito de todas as cobranças, se fez forte feito nobre humano. 

Comentários

comentários

, , , ,


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conecte-se