Sem categoria

Coletânea celebra 35 anos do Biquini Cavadão

17 jul , 2018  

Coletânea celebra 35 anos do Biquini Cavadão

 

Relegado injustamente ao segundo escalão do Rock Nacional, a banda Biquini Cavadão chega aos 35 anos de existência com honestidade e vigor que muitos da “elite” do BRock nunca tiveram. Porém, para os fãs, a banda carioca, apadrinhada por Herbert Vianna será sempre a grande banda que é.

Formado em 1983, na capital fluminense, o Biquini Cavadão seguiu os anos com público fiel, sem se importar muito com os modismos vigentes na mídia. Tanto que estão em plena atividade, prestes a lançar disco com canções de Herbert Viana e com a agenda repleta de shows pelo país.

Na carona da data comemorativa a gravadora Som Livre retorna ao mercado fonográfico a série de coletâneas Perfil, que muito sucesso fez nos anos 1990. O repertório dedicado à discografia do Biquini abrange toda a carreira do público, desde Tédio até As Voltas Que O Mundo Dá, lançada em fevereiro do ano passado. Mas não pense que o grupo é uma banda de coletâneas. A discografia do Biquini Cavadão é repleta de músicas bacanas, com letras inteligentes e arranjos bem executados.

 

Segue a lista com as 14 canções do repertório da coletânea Perfil – Biquini Cavadão:

Coletânea celebra 35 anos do Biquini Cavadão

1. Vento ventania (Álvaro Birita, Bruno Gouveia, Carlos Coelho, Miguel Flores, André Sheik e Carlos Beni, 1991)

2. Tédio (Álvaro Birita, Bruno Gouveia, Carlos Coelho, Miguel Flores e André Sheik, 1985)

3. Zé Ninguém (Álvaro Birita, Bruno Gouveia, Carlos Coelho, Miguel Flores, André Sheik e Carlos Beni, 1991)

4. Roda gigante (Álvaro Birita, Bruno Gouveia, Carlos Coelho, Miguel Flores e Dudy Cardoso, 2013)

5. Janaína (Álvaro Birita, Bruno Gouveia, Carlos Coelho, Miguel Flores e André Sheik, 1998)

6. Quando eu te encontrar (Álvaro Birita, Bruno Gouveia, Carlos Coelho, Miguel Flores, André Sheik e Carlos Beni, 2000)

7. Dani (Álvaro Birita, Bruno Gouveia, Carlos Coelho, Miguel Flores e Manno Góes, 2005)

8. Vou te levar comigo (Álvaro Birita, Bruno Gouveia, Carlos Coelho, Miguel Flores e Gian Fabra, 2005)

9. Quanto tempo demora um mês (Álvaro Birita, Bruno Gouveia, Carlos Coelho, Miguel Flores e Gian Fabra, 2005)

10. Em algum lugar no tempo (Álvaro Birita, Bruno Gouveia, Carlos Coelho, Miguel Flores e Manno Góes, 2007)

11. Chove chuva (Jorge Ben Jor, 1963) – Música gravada pelo Biquini Cavadão no álbum Agora (Sony Music, 1994)

12. Impossível (Álvaro Birita, Bruno Gouveia, Carlos Coelho, Miguel Flores e André Sheik, 1991)

13. Um rio sempre beija o mar (Álvaro Birita, Bruno Gouveia, Carlos Coelho, Miguel Flores e Dudy Cardoso, 2017)

14. Timidez (Álvaro Birita, Bruno Gouveia, Carlos Coelho, Miguel Flores e André Sheik, 1986)

, , , , ,

Sem categoria

Lobão revisita canções oitentistas em show ao vivo

3 Maio , 2018  

Lobão revisita canções oitentistas em show ao vivo

Neste sábado, 5 de maio, o cantor, compositor e multiinstrumentista Lobão se apresenta com a banda Os Eremitas da Montanha, às 22h, no palco da Audio, em São Paulo. O músico vai apresentar faixas de seu mais recente trabalho, o disco independente Antologia Politicamente Incorreta dos Anos 80 pelo Rock.

Desde o lançamento do livro homônimo, no ano passado, Lobão afirma que as gravadoras brasileiras  nunca tratou o rock nacional com o devido cuidado. Auto-intitulado sócio-fundador do rock oitentista, o músico antecede em show na casa paulistana canções que fazem parte do repertório do disco que será lançado em múltiplas plataformas (CD, LP e Streaming) no mês de junho.

As versões das canções escolhidas por Lobão são do período de 1980 a 1989, com uma pegada mais básica, pontuada na guitarra e bateria, o que traz mais peso às canções originais. Há duas exceções: a releitura de Planeta Água, de Guilherme Arantes, que se transformou em uma moda de viola, e Somos Quem Podemos Ser, do repertório dos Engenheiros do Hawaii, que remete aos ares do Clube da Esquina.

Em recente entrevista concedida à Folha, o músico diz que quer dar a voz do rock and roll que lhes foi roubada. Para ele os produtores musicais, acostumados a trabalhar com artistas da MPB, não sabiam gravar grupos de rock.

“Eu não consigo ouvir meus discos da época. Tudo soava meio iê-iê-iê. Essas regravações vão reiterar o que escrevi no livro. Eu me espantei, depois de fazer tantas resenhas dos discos para o livro, com a qualidade das músicas, da perenidade delas.”

O disco conta com um repertório de 25 canções, mas nem todas foram escolhas fáceis ou deram certo na hora de executá-las. “Tentei ‘Índios’, da Legião Urbana, mas no fim achei a letra uma porcaria. Tentei o Ritchie, mas, quando chegou na hora de cantar ‘abajur cor de carne’, vi que não conseguiria falar esse verso, não tenho cara de pau para isso.”

Os Eremitas da Montanha são: Armando Cardoso (bateria), Augusto Passos (baixo e voz), Christian Dias (guitarra) e Felipe Faraco (teclados).

Lobão revisita canções oitentistas em show ao vivo

Setlist

“Orra Meu” (Rita Lee)
“Planeta Água” (Guilherme Arantes)
“Vítima do Amor” (Blitz)
“Nosso Louco Amor” (Gang 90)
“Certas Coisas” (Lulu Santos)
“Eu Não Matei Joana d’Arc” (Camisa de Vênus)
“Geração Coca-Cola” (Legião)
“Primeiros Erros” (Kiko Zambianchi)
“Leve Desespero” (Capital Inicial)
“Louras Geladas” (RPM)
“Nós Vamos Invadir Sua Praia” (Ultraje)
“Núcleo Base” (Ira!)
“Até Quando Esperar” (Plebe Rude)
“Dias de Luta” (Ira!), “Toda Forma de Poder” (Engenheiros)
“Pânico em SP” (Inocentes)
“Eu Sei” (Legião)
“Vida Bandida” (Lobão)
“Virgem” (Marina Lima)
“Esfinge de Estilhaços” (Lobão)
“Quase um Segundo” (Paralamas)
“Somos Quem Podemos Ser” (Engenheiros)
“O Tempo Não Para” (Cazuza)
“Lanterna dos Afogados” (Paralamas)
“Azul e Amarelo” (Cazuza)

Serviço:
O Que: Lobão e os Eremitas da Montanha
Onde: Audio, av. Francisco Matarazzo, 694, tel. (11) 3862-8279.
Quando: Sábado, 5 de maio, às 22h
Quanto: De R$ 80 a R$ 120 em ticket360.com.br

 

Fotos: Anatole Klapouch

 

 

 

 

 

, , , , , ,

Sem categoria

Discoteca Básica #4 – As Aventuras da Blitz (Blitz)

10 jun , 2016  

Primeiro álbum do grupo carioca Blitz, mudou a indústria da música nos anos 1980 e abriu as portas das gravadoras brasileiras para os grupos jovens de pop e rock, como Barão Vermelho, Paralamas e Kid Abelha.

Meu amigo Symão Francisco, ou Chico Franoly, ou simplesmente Kiko, assim como eu tem este disco como o essencial de sua vida. Confira o papo e saiba um pouco mais sobre esta incrível banda e o clássico primeiro álbum. Aumentem o som!!!

Assista também o extra que rola umas histórias bem bacanas…

, , , , , , , , , , , , ,